Durante pandemia, jovem passa a empreender em casa e fatura mais de R$2 mil reais com vendas de salgados

24/06/2020

Aluna do Instituto Gourmet participou apenas de três aulas antes da quarentena ser decretada e é uma das finalistas da campanha “Meu Aluno Gourmet faz Acontecer”

Thatiane Amaral Miranda tinha acabado de se mudar para Vila Velha, ES, e estava lidando com diversos problemas pessoais e familiares, desde pequena, sonhava em ter uma vida melhor e encontrou refúgio na gastronomia. No final do ano passado, a jovem resolveu se matricular no curso Cozinheiro Profissional do Instituto Gourmet na Unidade de Vila Velha e estava animada para começar a aprender e colocar em pratica tudo a rede tinha para oferecer.

As aulas estavam marcadas para o início de abril e, devido à pandemia, ela só conseguiu acompanhar três aulas antes da escola ser fechada. Thatiane conta que devido ao caos que estava acontecendo em sua vida, ela se sentia muito desmotivada, os sérios problemas de saúde de seus pais exigiam muito dela. E ela acredita que o trabalho da equipe do Instituto Gourmet ajudou ela a descobrir uma força que nem ela sabia que tinha.

Com a pandemia as coisas pareciam não ir para frente, até que ela resolveu fazer uma fornada de empadão e oferecer no condomínio em que mora. “O ‘boca a boca’ tomou uma proporção tão gigante que eu nem imaginava. Agradeço muito à Deus e ao Instituto Gourmet por me mostrar que antes de cuidar dos outros, eu preciso cuidar de mim também. Empreender também é uma forma de cuidado”, comenta.

Em apenas 12 dias de empreendimento ela conseguiu faturar mais de R$900 reais com a venda de empadão e quibes e finalizou o mês com mais de R$2.220,00 em vendas. “Eu aprendi que é preciso dar o primeiro passo, aceitar as críticas e elogios e entender que gastronomia dá dinheiro, trabalho e muita gratificação”, afirma.

A história de superação da cozinheira ganhou destaque no concurso “Meu Aluno Gourmet Faz Acontecer” promovido pela franqueadora, onde todas as unidades da rede enviaram histórias de seus alunos para concorrer a prêmios. Thatiane é uma das três finalistas e o prêmio varia de R$2 mil a R$5 mil, dólmã e consultoria especializada para o primeiro lugar, já os instrutores podem levar prêmios de R$500 a R$2 mil.

A cozinheira conta que ainda não acredita que está na final. “É uma experiência incrível, estou muito feliz por ter chego aqui e feliz por ver tantas pessoas me apoiando, incentivando. Muitas vezes é uma batalha interna, mas eu sigo almejando meus sonhos”, afirma. Com o prêmio, Thatiane pretende equipar sua cozinha e assim poder ficar mais perto de seus pais e gerar sua renda familiar.

Para chegar até as três finalistas a rede recebeu mais de 800 mil votos. A votação para decidir o vencedor será aberta ao público no dia 25 de junho e estará disponível no portal da rede. Robson Fejoli, sócio diretor da rede, conta que essa campanha está sendo um sucesso incrível. “Queremos incentivar nossos alunos a empreender durante essa crise, nosso ensino é focado nessa vertente então criamos essa campanha para estimular esse lado empreendedor de cada um”, finaliza.

O Instituto Gourmet foi fundado em 2014 por Lucilaine Lima e Robson Fejoli, em 2015 com a entrada do sócio Glaucio Athayde, formataram e testaram o modelo de negócio para o franchising. A expansão da rede começou 2017 e desde então segue em constante crescimento e, só no ano passado, o Instituto Gourmet comercializou 88 unidades e obteve um faturamento de R$ 45 milhões. Com a sociedade com o Grupo SMZTO, a meta da rede é comercializar 100 unidades e atingir o faturamento de R$ 70 milhões de reais, além de
lançamentos de novos cursos.